segunda-feira, 28 de maio de 2018

Guião de trabalho de pesquisa: religião e sociedade



10.º Q, 2018/05/29 — Enunciado do trabalho sobre religião e sociedade
Guião de trabalho de pesquisa

A religião é fundamental na vida de alguns de nós, para quem ela é uma referência de verdade, rectidão ou esperança. Mas também a vida daqueles que não praticam ou não crêem em qualquer divindade é influenciada pelos hábitos de comportamento e de pensamento com que as religiões impregnaram as nossas sociedades.

Podemos formular diferentes perguntas acerca da influência da religião sobre a sociedade:
  • ·   É legítimo orientar ou analisar o comportamento dos indivíduos com base em crenças religiosas ou teológicas? …É legítimo condenar pessoas com base neste tipo de crenças?
  • ·         É legítimo decidir leis ou políticas com base em crenças religiosas ou teológicas?
  • ·         O que sabemos acerca de quaisquer deuses?
  •   Que objectividade e valor de certeza têm estas crenças (sobre deuses, sua natureza, suas intenções, suas revelações…)?
  • ·         Em que se baseiam as crenças religiosas?

Estes problemas dividem-se em dois grandes grupos, sendo que os primeiros precedem os segundos:
  • (      Problemas metafísicos (acerca da realidade) e metacognitivos (acerca da possibilidade do conhecimento).
  • (      Problemas de ética prática e de política. (sobre o que se deve ou é lícito fazer).


Tarefas:

Até 29 de maio:
·         Identificar (não apenas nomear) características gerais das religiões (cot. máx: >3 características) (25)
·         Apresentar (=formular e expor) argumentos a favor e contra a existência de deuses (para a cotação máxima, 3 ou mais de cada). (45)


Até 30 de maio
·         Apresentação sumária de três facções do cristianismo ou do islamismo, identificando as diferenças entre elas. (25)
·         Recolha e análise de duas notícias sobre a influência da religião na sociedade, dentro de um dos seguintes temas: (45)
§  Leis da família (casamento, divórcio, adoção, sexualidade…);
§  Leis sobre a vida (planeamento familiar, aborto, eutanásia);
§  Religião vs. ciência (educação; censura; literalismo…);
§  Relações sociais (sistema indiano de castas; expulsão de judeus sefarditas…);
§  Direito de conquistar, reprimir, matar… (cruzadas, nazis, israelitas, DAESH…)


Até 4 de junho
·         Ensaio sobre o tem “Tolerância religiosa” — aplica-se a estrutura canónica da argumentação (60).

quarta-feira, 15 de março de 2017

Preparação de um argumento: Qual deve ser o papel da imprensa na sociedade?

Este trabalho enquadra-se no tema 1.3: "A comunicação e a construção do indivíduo"


O trabalho compõe-se de duas tarefas:

  1. Um questionário de preparação, realizado a pares. (15 de fevereiro)
  2. Uma composição de um ensaio argumentativo de 250-500 palavras, realizado individualmente. (17 de fevereiro)


O problema a tratar: Qual deve ser o papel da imprensa na sociedade?


1.ª Tarefa - Utilizando os links abaixo (ou outros), responda às seguintes questões:


1.    O que é a liberdade de imprensa?

2.    Quais são/devem ser os objectivos da imprensa?... Informar? Educar? Fiscalizar? Doutrinar?...

3.    Que regras deve a imprensa seguir para preservar a sua idoneidade e a sua qualidade?
3.1.Qual é a relação entre a liberdade de imprensa e a democracia [e as instituições públicas]?
3.2.O que pode ameaçar a liberdade de imprensa?

4.    Qual é a sua relação com a identificação ou formação de problemas sociais ou de justiça social?

5.    Deve existir alguma forma de censura?
5.1.Que tipo de informações ou artigos podem/devem ser censurados?
5.2.Quem poderá censurar a imprensa?

6.    Por que razão a imprensa deve ser livre e diversificada?
6.1.Quais são os riscos de controlo da imprensa por partidos políticos ou governos?
6.2.Quais são os riscos dos monopólios da imprensa [por grupos económicos]?
6.3.Existem/devem existir limites para a liberdade de imprensa?

7.    O que se ganha ou perde com a liberdade de imprensa?
7.1.Quais são os riscos e as vantagens da existência de uma imprensa livre?
7.2.Quais são os riscos e a vantagens de uma imprensa controlada e censurada?

2.ª tarefa: Elaboração de um ensaio argumentativo de 250-500 palavras). Este consiste na apresentação e justificação de uma ou mais respostas a um determinado problema. Sugere-se a utilização de uma estrutura baseada em perguntas e respostas.

A tarefa realizada na aula anterior servirá de base de trabalho. Os alunos poderão utilizar outros meios de consulta.

O plágio (cópias não referenciadas parciais ou totais de outros trabalhos) ou a utilização de citações em mais de 20% do texto serão cotados com zero valores.

O texto a produzir deve seguir a seguinte estrutura:

  • Apresentação do probelma 
  • Apresentação da(s) resposta(s) a considerar
  • Justificações a favor e contra a(s) resposta(s) apresentada(s)
  • Resumo final do argumento/conclusão

Links




quarta-feira, 25 de maio de 2011

Um urso decorado

A visita à Quinta dos Vales foi gentilmente retribuída pelo seu embaixador, o Senhor Urso Pintado. As crianças e o Senhor Urso estavam muito felizes por se reencontrarem e posaram para a nossa fotografia.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dia do Autor Português

EB23 Jacinto Correia – Biblioteca/5.º E
23 de Maio de 2011


Luís de Camões, por autor desconhecido.



Dia do autor português — História de Portugal em poesia

No dia 22 de Maio comemorou-se o Dia do Autor Português. Nesta sessão de trabalho iremos comemorar esse dia tentando conhecer melhor os autores portugueses.
Os autores são as pessoas que criam o conhecimento, as ideias e as obras de arte. Graças aos seus trabalhos, compreendemos melhor o mundo em que vivemos; graças às suas obras de arte, a nossa vida é mais alegre e rica e encontramos novas formas de exprimir os nossos pensamentos e sentimentos.
Podemos contar a história de Portugal em poesia. Muitos poemas falam sobre as preocupações das pessoas e sobre os acontecimentos que elas viveram. 
Em outros poemas percebemos como a língua portuguesa que se falava noutros séculos era um bocadinho diferente da nossas: usavam-se palavras que se perderam. Outras palavras escreviam-se de maneira muito diferente da de hoje.








Pesquisar na Internet

Para realizares as tarefas que se seguem terás de utilizar a Internet.

Para responderes às tarefas, abre um ficheiro Word, grava-o e, no final, envia-o por e-mail para o endereço becre.espamol@gmail.com

Não te esqueças de identificar os elementos do teu grupo. 





Para te facilitar a procura da informação, utiliza os seguintes operadores lógicos: +, -, . Por exemplo:
Portugal+compositores: procura páginas onde ocorram estes dois termos;
“Compositores de Portugal”: procura sites onde apareça esta expressão;
“Compositores de Portugal”-“Heitor Villalobos”: procura compositores portugueses, excepto Heitor Villalobos (que foi um compositor brasileiro…)
Para além destes termos, deves também usar sinónimos.
Mais duas dicas: 1) formula uma pergunta que defina aquilo que queres encontrar. Identifica todos os substantivos que utilizaste: são essas as principais palavras-chave da tua pesquisa.

2) Além disso, presta atenção às novas informações que vais recolhendo à medida que a tua pesquisa avança.




Tarefa 1: Poesia+música=canção

O amor era um dos principais temas das canções medievais. Obra anónima.
in: http://4.bp.blogspot.com/-qVOjRb7knGg/Tdm_GaepJ-I/AAAAAAAAAfs/iBTGHjzr9J8/s1600/amor3.jpg


Nas canções juntam-se dois géneros diferentes, a poesia e a música. Muitas vezes são o trabalho conjunto de dois autores: um poeta e um músico. Na tabela abaixo encontras canções e autores de cinco períodos da história de Portugal.


Para responderes, constrói uma tabela no ficheiro Word que abriste.
 
Faz corresponder cada poema/obra à sua época e identifica o seu autor
Época
Nome da canção
Autor(es)
Idade Média
Adeste Fidelis
D. Dinis (música e poema)
Renascimento/Descobrimentos
Cantiga do cego
D. João IV (música)
Restauração
Non chegou, madr', o meu amigo
Anónimo
Monarquia Constitucional
Barco Negro
Alfredo Keil (música e poema)
Época contemporânea
Senhora del mundo
David Mourão-Ferreira (poema) e Caco Velho (música)





Tarefa 2: Música no século XX
No Século XX surgiram em Portugal alguns grandes compositores. Alguns deles encontram-se identificados abaixo. Ouve pelo menos três deles e escolhe um de que gostes mais.
1.    Como caracterizas essa obra musical? (observa os itens abaixo)
a.    Qual é a sua época e estilo?
b.    É uma peça para orquestra, um concerto para um instrumento e orquestra, uma peça para um único instrumento?...
c.    Em que anos nasceu e morreu (se ainda não estiver vivo) o autor da peça que escolheste?
d.    Em que localidade nasceu?
e.    Onde estudou?
f.     Por que razão preferiste este autor?

Francisco de Lacerda - Almurol
Vianna da Mota – Sinfonia À pátria e Três cenas portuguezas
Cláudio Carneyro - Pavana
Luís de Freitas Branco – Prélude V e Duas melodias

Joly Braga Santos – Divertimento n.º 2, II Allegro e Stacatto brilhante
António Vitorino d’Almeida – Nocturno op.118 e Sinfonia nº 1 (excerto)






Tarefa 3: QUIZZ - A história de Portugal em poesia

Ocidente, de Nadir Afonso

…Este exercício é para gente com genica. Prepara-te para deitar vapor pelas orelhas!!!

Responde às questões até ao dia 27 de Maio por e-mail (becre.espamol@gmail.com). O primeiro grupo a responder correctamente a todas as questões (ou aquele que responder a mais questões em menos tempo) receberá um prémio.
Segue as sugestões que te apresentaram no início deste exercício.

1.   Quem foi o rei português cuja filha estava sempre na casa de banho porque bebia muito chá? — Talvez fosse por isso que o rei mandou a sua filha para Inglaterra. Esse rei escreveu uma música que se ouve muitas vezes por alturas do Natal: Adeste…

2.   Havia outro rei que gostava quase tanto de pinhões e da sua horta como de poesia. Quem era ele?

3. Um poeta português que queria vender coca-cola à porta de uma tabacaria fez um poema sobre o Menino Jesus. Quem foi esse poeta?

4.   A que poema pertence o verso “falta cumprir Portugal”? Quem o escreveu? O que quer dizer esse verso? – procura pistas no poema. Quem é a personagem que o poema invoca?
5.   Um poeta português que não deves estar a ver bem quem é (ou ele a ti!) tinha um nome que significava “duas ou mais galinhas sultanas”… É um nome tão estranho como tantos outros! – Qual era o segundo nome desse poeta? Como se chama o maior poema que ele escreveu?

6.  Por falar em nomes estranhos, eis um desafio difícil: havia um médico transmontano, o Dr. Rocha, que tinha o grande desgosto de ter o nome de um famoso ditador. Por isso trocou o seu nome de família pelo de uma planta bravia e o seu nome próprio pelo do autor do primeiro romance moderno… Adivinha quem era ele e procura um dos seus poemas.

7.    O que é Malvasia? Quem é que se lembraria de molhar o pão-de-ló em malvasia? – Acredita que pode ser o começo de uma grande azia! Descobre quem foi o autor do poema que fala disto e procura um outro poema do mesmo autor.

8.    Nos tempos em que os franceses andavam a aterrorizar toda a Europa, um poeta português descreveu-se como “magro de olhos azuis, carão moreno”. Quem era esse poeta? Qual era o seu nome arcádio?

9.   Se deixares o teu cavalo andar à solta, vamos ter uma brande tourada! – Adivinha qual é o poeta que tens de chamar para resolver o problema! 

 É

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Dia do autor português

1.º+2.º Ano, Porches, 20 de Maio - Professora Ana Cristina/Biblioteca


 Instruções:

Copia esta ficha para o teu computador: 

1. Abre o programa Word.

2. Selecciona o texto desta mensagem e carrega sobre ele com a tecla direita do rato. Selecciona a função Copiar.

3. Carrega sobre a página em branco do teu novo ficheiro Word e selecciona a função Colar.


4. Se conseguiste, preenche a tabela da pesquisa sobre autores portugueses. 

5. Deves utilizar a Internet para procurar os autores. Segue as instruções que estão mais abaixo e pedir ajuda aos professores.




 Dia do Autor Português

 
1.    No dia 22 de Maio comemora-se o Dia do Autor Português. Este dia serve para pensarmos no que é um autor, naquilo que eles fazem e naquilo que faz com que sejam importantes.

2.    Sabes dizer-me o que é um autor? - É uma pessoa que faz qualquer coisa nova. Os autores são as pessoas que inventam receitas de culinária, que escrevem histórias, que fazem filmes, que pintam e ilustram...

3.    Conheces o nome de algum autor? Onde podemos procurar o nome dos autores (por exemplo, de um livro)? - Olhar para a capa e para as primeiras folhas do livro. Identificar autor do texto, ilustrador, tradutor.

4.    Vamos conhecer alguns autores portugueses utilizando o computador:
·       Utiliza o motor de busca (Google, SAPO,...)
·       Utiliza palavras-chave – por exemplo pintores+portugal+a ou “pintores portugueses”+a
·       Não desistas se não conseguires à primeira tentativa




Letra: ____

Um escritor ou poeta
Um pintor
Um compositor de música

Nome:

Nome:

Nome:


Data de nascimento

__ / __ / _____
Data de nascimento

__ / __ / _____
Data de nascimento

__ / __ / _____

Local de nascimento:

_______________
Local de nascimento:

_______________
Local de nascimento:

_______________

Títulos de duas obras:
__________________
__________________
__________________
Títulos de duas obras:
__________________
__________________
__________________
Títulos de duas obras:
__________________
__________________
__________________


Aqui estão algumas palavras-chave que podes utilizar:

Pintores
Pinturas
Ilustradores
Escultores
Estátuas
Portugal
Portugueses
Compositores
Música
Poetas
Escritores
Museu
Arte

Curiosidade: Sabias que alguns reis portugueses foram artistas? Procura descobrir as obras de D. Dinis, de D. João IV, de D. Fernando II e de D. Carlos.

quinta-feira, 31 de março de 2011

A festa da Escola Jacinto Correia - Notícia do jornal Barlavento

«Dona Lontra Bernardina» levou ciência e imaginação à Escola Jacinto Correia de Lagoa
daniel lopes



A festa da «Dona Lontra Bernardina», na Escola EB 2,3 Jacinto Correia de Lagoa

Quando o imaginário se une à criatividade dos jovens, nascem iniciativas como as dinamizações do conto «As Asas de Dona Lontra Bernardina», que ocuparam o espaço recreativo da Escola EB 2,3 Jacinto Correia, numa destas manhãs.

Participaram cerca de 600 alunos, desde o pré-escolar ao ensino secundário, que mostraram a riqueza biológica, histórica e geológica do concelho de Lagoa.

Esta iniciativa surgiu no âmbito do Programa Regional de Educação Ambiental pela Arte (PREAA), no âmbito da temática «Os Contos do Mago».

Helena Tapadinhas, autora do livro e coordenadora do PREAA, explicou que «os alunos apresentaram diversos trabalhos, construídos ao longo do ano, dando a conhecer o seu território de proximidade». O concelho de «Lagoa e o imaginário atuaram nas intervenções, motivando para a pedagogia e para a criação», sublinhou.

O Parque Municipal do Sítio das Fontes, habitat de lontras, mereceu destaque, pelo seu valor geológico e ambiental. (...).

As apresentações utilizaram «o conto para transmitir valores de preservação do património ambiental, como a preservação da floresta mediterrânica», acrescentou.

Rui Afonso, formador e pedagogo que trouxe o conto às escolas e o contou aos alunos, explicou, por seu lado, que «o mais importante é a aprendizagem envolvida, que dá forma, ferramentas e oportunidades para desenvolver as questões ambientais através da expressão artística».

«Esta ação é importante para a sensibilização ambiental, mas é visível que a população tem mais conhecimento sobre os problemas ambientais, é mais consciente e há um reforço positivo na preservação» (...).

«Os professores tiveram um papel importante na motivação, orientação e apoio aos projetos dos alunos, e têm agora a função de dar continuidade à motivação dos jovens», considerou Rui Afonso.

O PREAA não se destina só à formação dos alunos, mas «também é direcionado para a formação de professores, numa rede estruturada por todo o Algarve», disse Helena Tapadinhas. Para além disso, «no Algarve inteiro há outras escolas que trabalham nos Contos do Mago».

A dinamização do conto «As Asas de Dona Lontra Bernardina», integrada no PREAA promovido pela Direção Regional de Educação do Algarve, contou com o apoio da Câmara Municipal de Lagoa.

Viver o conto no percurso

Em toda a área de lazer da Escola EB 2,3 Jacinto Correia havia muita azáfama, característica de um espaço cheio de jovens, exposições e atividades onde os alunos assumiram um papel ativo.

Logo à entrada, estava «Dona Lontra Bernardina», à sombra, recebendo os visitantes. Uma lontra criada por jovens do ensino especial, através de materiais reciclados como revistas, telas e pinhas. Perto, havia uma «barraca» onde se ensinava a destilar ervas naturais.

Mais à frente, uma exposição exibia pão com mel e frutos regionais. O aluno Mateus Beleça explicava a outros jovens como se fazia o pão e quais as mudanças até aos nossos dias. Falou de tratores, de burros de carga, do lavrar da terra e de sementes.

«É importante os moços terem uma educação animada para as questões do ambiente, para aprenderem com atenção e não acharem uma seca», confessou Mateus.

Do outro lado do pátio, alguns alunos mostravam «o chá, que significa a poção», como disse Mara Rocha ao «barlavento». Para esta aluna, «é importante preservar as árvores para podermos respirar».

Houve peças de teatro, interpretadas pelos alunos, que contavam a estória da «Lontra».

Num palco, situado no recreio, os alunos foram atuando, sensibilizando para as questões ambientais.

O segredo deste evento foi desvendado por crianças do 1º ciclo ao afirmarem que «a Lontra vive no Sítio das Fontes, em Estômbar, faz poções e tem umas asas», adiantando que iam «beber a poção para ganhar asas».

Um conto de descoberta do património ambiental do Algarve
Bernardina é alquimista e «quer inventar umas asas».
De inverno, a Águia-Pesqueira conta-lhe sobre a Escandinávia, de verão o Perna-Longa fala-lhe acerca de África, e Bernardina também quer «velivolar pelo atrimundo».
Entretanto, recebe a visita do Borrelho-de-Coleira-Interrompida, que lhe leva a morraça do sapal, a Andorinha-do-Mar Anã mostra-lhe o estorno e a Dourada leva-lhe o plâncton do estuário.
A Lontra alquimista percebe então que conhece muito pouco acerca do que existe perto de si.
Consegue criar asas, mas fica no seu habitat, para «conhecer cada inseto, cada planta, cada pôr-do-sol daquele lugar encantado onde nasceu».

30 de Março de 2011
14:50

daniel lopes